‘Estou sem dinheiro e dormindo em posto de gasolina’, diz artista que fez sucesso nos anos 90

No início dos anos 1990, a carioca Regina Soares alcançou o sucesso como uma das dançarinas do cantor e compositor Fausto Fawcett em espetáculos performáticos, como ‘Santa Clara Poltergeist’ e ‘Básico Instinto’, que a levaram a adotar o nome artístico Poltergeist.

A fama abriu portas para que, na época, ela estampasse as principais revistas masculinas do país e atuasse em dois filmes do cineasta Cacá Diegues, além de peças teatrais e programas humorísticos. Regina chegou até a se aventurar na música e regravou uma canção do grupo As Frenéticas.

Mas hoje, três décadas depois, a realidade da ex-dançarina de 50 anos é bem diferente do passado glamouroso.

Preciso de um lugar para dormir, alugar uma quitinete, estou sem dinheiro, sem trabalhar. Preciso de ajuda urgente, estou morando em um posto de gasolina, não estou dormindo direito, durmo no chão do banheiro do posto!

Regininha Poltergeist em conversa com Splash

Regina diz estar vivendo há duas semanas no posto, localizado na cidade do Rio de Janeiro, e contando com ajuda de outras pessoas para conseguir se alimentar. Banho só toma “quando dá”, em um clube próximo ao local.

Questionada sobre como chegou a essa situação, ela desconversa e mescla temas diversos com frases que soam desconexas, sem revelar o motivo. A ex-dançarina diz que seu telefone está sendo rastreado e que “eles” têm ciência de tudo que ela faz — mas, mais uma vez, não entra em detalhes.

“Fui vítima de uma armação, minhas coisas ficaram lá (no Recreio, bairro nobre do Rio de Janeiro, onde morava). Fui um dia lá pegar e me ameaçaram, tive que sair devido às coisas que passei lá, saí correndo literalmente, quase morri. Preciso de dinheiro para comer”, afirma.