Pazuello comunica a senadores que não pode depor presencialmente na CPI da Covid

O ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello comunicou à CPI da Covid que não deve comparecer presencialmente ao seu depoimento no Senado, marcado para esta quarta-feira. Segundo o vice-presidente da CPI, Randolfe Rodrigues (Rede-AP), Pazuello alegou que teve contato com pessoas com suspeita de Covid e, por isso, não poderá comparecer ao Senado. O presidente da CPI, Omar Aziz (PSD-AM), disse que ainda aguarda um comunicado oficial de Pazuello para deliberar sobre o depoimento. Ele já sugeriu, porém, ajustar o cronograma para ouvir o ex-ministro Nelson Teich nesta quarta-feira. A comissão, que se reúne hoje para as oitivas dos ex-ministros da Saúde Nelson Teich e Luiz Henrique Mandetta, deve deliberar em breve sobre como proceder diante do comunicado de Pazuello. Em outubro do ano passado, Pazuello anunciou que foi infectado pela Covid-19 e chegou a ser internado no Hospital das Forças Armada (HFA), em Brasília. Temendo o depoimento do ex-ministro da Saúde, o Palácio do Planalto está treinando Pazuello desde sábado, conforme revelou O GLOBO. O general é visto como um dos principais alvos da CPI da Covid. — O ministro Pazuello teve contato com dois coronéis auxiliares dele neste fim de semana, que estão com Covid. Segundo a informação que eu tenho, ele estará em quarentena e não virá depor amanhã Não é oficial, é extra-oficial. Já conversaram comigo sobre isso, só que eu disse que tem que mandar…— disse Omar Aziz durante a sessão. — Ele anda sem máscara e não pode vir a CPI? — ironizou a senadora Eliziane Gama (Cidadania-MA), de oposição. Omar Aziz então sugeriu que o depoimento do ex-ministro Nelson Teich, previsto para esta terça, seja transferido para quarta.